A-Z índice do site

4 milhões de vítimas de covid-19: Mensagem do secretário-geral

Hoje, o número de mortes devido à covid-19 chegou a 4 milhões. Um valor desolador, maior do que a população de um terço dos países mundo. Portugal já registou 17.126 óbitos devido à pandemia, um número que continua numa trajetória crescente.

Neste triste marco da pandemia, o secretário-geral da Nações Unidas, António Guterres, lamenta a trágica perda de vidas humanas. “Muitos de nós conhecem essa perda diretamente e sentem esta dor. Choramos mães e pais que nos orientaram, filhos e filhas que nos inspiraram, avós que partilharam sabedoria, colegas e amigos que elevaram as nossas vidas.” – compadece o secretário-geral.

António Guterres declara ainda que esta pandemia está longe de terminar, tendo metade das vítimas registadas falecido este ano. Porém, já existe uma solução para acabar com a mesma: a vacinação.

O secretário-geral da Nações Unidas reafirma a importância da vacinação inclusiva para conter a propagação dos vírus, impedir a mutação de novas variantes e evitar mais mortes. “Muitos outros milhões estão em risco caso o vírus consiga alastrar-se como um incêndio. Quanto mais se espalha, mais variantes haverá – variantes que são mais transmissíveis, mais mortais e com maior probabilidade de prejudicar a eficácia das vacinas atuais.” – alerta Guterres.

Assim, o secretário-geral incita ao maior esforço global para a saúde pública de sempre para a criação de um Plano Global de Vacinação. Este deverá duplicar a produção de vacinas e garantir uma distribuição equitativa, usando a COVAX como plataforma; garantir a coordenação na implementação e financiamento; apoiar os governos nacionais na implementação de programas de imunização e desencorajar e hesitação na vacinação.

Para que este se concretize Guterres convoca um Grupo de Trabalho de Emergência que reúna todos os países com capacidade de produção de vacinas, a Organização Mundial da Saúde, a aliança global de vacinas GAVI e as instituições financeiras internacionais capazes de lidar com as empresas farmacêuticas, com os fabricantes relevantes e com outras partes interessadas.

“A equidade da vacina é o maior teste moral imediato dos nossos tempos. É também uma necessidade prática. Até que todos sejam vacinados, todos estão sob ameaça. A recuperação mundial requer uma vacinação global. A trágica perda de quatro milhões de pessoas deve impulsionar os nossos esforços urgentes para que esta pandemia acabe para todos, em todos os lugares.” – conclui o secretário-geral da Nações Unidas.


Há um novo direito humano: o direito a um ambiente limpo

A resolução 48/13 foi adotada no dia 8 de outubro, quando a presidente do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, Nazhat Shameem das Ilhas...

Prêmio Camões 2021, moçambicana Paulina Chiziane celebra “vitória para todas as lutas”

Diretor do Instituto Camões – da Cooperação e da Língua, com sede em Lisboa, diz à ONU News que a música é uma das...

Relatório ONU: governos no caminho errado para cumprir Acordo de Paris

Segundo o Relatório sobre o Défice de Produção, elaborado por diversos centros de investigação em associação com o Programa das Nações Unidas para o...