Com solidariedade, haverá vacinas para todos, diz OMS um ano após crise de Covid-19 

Este sábado, 30 de janeiro, faz um ano que a Organização Mundial da Saúde, OMS, declarou uma emergência de saúde pública de preocupação internacional devido à Covid-19.  

Na época, havia menos de 100 casos da doença fora da China, onde apareceram os primeiros casos na cidade de Wuhan, e nenhuma morte. Nesta semana, o mundo atingiu 100 milhões de casos. Mais de 2,1 milhões de pessoas perderam a vida. 

Tedros Ghebreyesus destacou janela de oportunidade para controlar pandemia, ONU/Evan Schneider

Oportunidade

Nas últimas duas semanas, houve mais notificações do que durante os primeiros seis meses da pandemia. 

Falando a jornalistas em Genebra, o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus lembrou que, há um ano, ele disse que o mundo tinha uma “janela de oportunidade” para evitar a transmissão generalizada desse novo vírus. 

Agora, ele diz que “as vacinas estão dando outra janela de oportunidade para controlar a pandemia” que não deve ser desperdiçada.  

Tedros afirmou que crise de saúde “expôs e explorou as desigualdades do mundo” e, agora, “existe o perigo real de que as ferramentas que podem ajudar a acabar com a pandemia, as vacinas, podem exacerbar essas mesmas desigualdades.” 

Distribuição  

O chefe da agência destacou “um ponto crítico” na crise, em que mais vacinas estão sendo desenvolvidas, aprovadas e produzidas. Segundo ele, “haverá o suficiente para todos.” 

Por enquanto, no entanto, as imunizações são um recurso limitado. Para salvar vidas, Tedros pede que elas sejam “usadas da maneira mais eficaz e justa possível.” 

No início do mês, o chefe da OMS desafiou a comunidade internacional para que, nos primeiros 100 dias de 2021, a vacinação de profissionais de saúde e idosos esteja em andamento em todos os países. 

OMS diz que profissionais de saúde devem ter prioridade para receber vacina, ONU/Evan Schneider

Tedros lembrou que nas primeiras semanas da pandemia, as pessoas mostraram seu apreço aplaudindo em suas varandas. Agora, ele diz que “é hora de mostrar amor e apreço garantindo que todos os profissionais de saúde sejam vacinados.” 

Equidade 

Em 2021, o tema do Dia Mundial da Saúde, marcado em 7 de abril, é equidade na saúde. Esta semana, a OMS lançou duas ferramentas para melhorar resultados em todo o mundo. 

O primeiro é a Lista de Diagnósticos Essenciais, um conjunto de diagnósticos que a OMS recomenda que esteja disponível em todos os pontos de atendimento. A lista inclui testes para a Covid-19, aumenta o conjunto de testes para doenças infecciosas, câncer e diabetes, e apresenta uma seção sobre endocrinologia.  

A segunda iniciativa é um novo plano de 10 anos para doenças tropicais negligenciadas. No total, esse conjunto de 20 doenças afetam mais de um bilhão de pessoas, a maioria delas pobres. 

O plano inclui metas ambiciosas, como reduzir em 90% o número de pessoas que precisam de tratamento para uma dessas doenças. Também pede a eliminação de pelo menos uma doença em 100 países.  

O plano também cria a meta de eliminar a dracunculíase, conhecida como verme da Guiné, e a bouba, em todo o mundo, até 2030. 


Direito Internacional e Justiça

Entre as maiores conquistas das Nações Unidas está o desenvolvimento de um corpo de leis internacionais, convenções e tratados que promovem o desenvolvimento económico...