A-Z índice do site

FAO apela para maior disponibilidade de alimentos na África 

O número de crianças afetadas pelo atraso de crescimento continua em alta na África Subsaariana.  

A região concentra 91% de crianças sofrendo de nanismo. No continente, 57,5 milhões de menores enfrentam o problema. A região africana é a única do globo com tendência de alta. 

Lusófonos  

Dentre os países de língua portuguesa, São Tomé e Príncipe está entre três nações a caminho de atingir quatro das cinco metas nutricionais da Assembleia Mundial da Saúde.  Com uma prevalência de desnutrição de 12%, o país tem a mais baixa taxa entre os lusófonos africanos.  

Habitantes do continente enfrentam custos alimentares mais elevados

FAO/ C. Marinheiro

Habitantes do continente enfrentam custos alimentares mais elevados

O Panorama sobre Segurança Alimentar e Nutrição na África cita um programa de fortificação de alimentos com pó de micronutrientes múltiplos que cobre todas as crianças são-tomenses abaixo de de cinco anos. 

No período entre 2017 e 2019, Angola teve uma taxa de desnutrição de 18,6%, seguida de Cabo Verde com 18,5% e Moçambique com 32,6%. 

Já a Guiné-Bissau não apresenta dados no estudo, mas consta entre os países que sofrem pela influência de insegurança, da desaceleração econômica e de choques climáticos que inter-relacionados aumentaram a prevalência da desnutrição.  

O país deve atingir as metas de combate ao excesso de peso e amamentação exclusiva. 

Dependência 

Angola está entre 12 nações africanas em vias de cumprir a meta de combate ao baixo peso para altura.  

Criança de dois anos come uma pasta nutricional depois de ser testada para desnutrição em Angola

PMA/Pedro Domingos

Criança de dois anos come uma pasta nutricional depois de ser testada para desnutrição em Angola

Cabo Verde aparece entre os mais afetados com a queda abrupta nas viagens por causa da pandemia, pela forte dependência do turismo. O país tem uma prevalência de carência de vitamina A abaixo de 10%, que afasta o problema como uma ameaça à saúde pública. 

Já em Moçambique, choques climáticos e desacelerações econômicas causaram a alta prevalência de subnutrição. O país tem 1,7 milhão de pessoas sofrendo de insegurança alimentar aguda devido a fatores como chuvas fracas, dois ciclones, aumento dos preços dos alimentos básicos e infestação generalizada pela lagarta-do-cartucho-do-milho. 

O estudo envolveu especialistas da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, da Comissão Econômica da ONU para a África, ECA, e da Comissão da União Africana. 

Dieta  

O Panorama sobre Segurança Alimentar e Nutrição na África destaca que quase três quartos da população regional não podem pagar o suficiente para uma dieta saudável com frutas, proteínas, vegetais e animais. 

Análise recomenda transformação dos sistemas agroalimentares regionais promovendo dietas saudáveis mais acessíveis

Unaids/Daniel Msirikale

Análise recomenda transformação dos sistemas agroalimentares regionais promovendo dietas saudáveis mais acessíveis

O documento revela que mais da metade não tem acesso a uma alimentação adequada que forneça uma mistura de carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais essenciais para a manutenção de saúde básica. 

Mesmo uma dieta que forneça um mínimo de energia suficiente está fora do alcance de mais de 10% da população da região.  

Custos 

O panorama sobre segurança alimentar e nutrição na África recomenda uma transformação dos sistemas agroalimentares regionais promovendo dietas saudáveis mais acessíveis.

Os habitantes do continente enfrentam custos alimentares mais elevados do que em outras regiões com um nível de desenvolvimento similar e a alimentos básicos como cereais e raízes com amido. Algumas razões para a situação são sistêmicas. 

O relatório realça que embora a prevalência da baixa estatura esteja diminuindo, ela cai muito lentamente. Apesar  progresso, quase um terço das crianças na África Subsaariana ainda enfrentam dificuldades para crescer. 

Região africana é a única do globo com tendência de alta de índices de desnutrição

Unmiss/Amanda Voisard

Região africana é a única do globo com tendência de alta de índices de desnutrição


Nações Unidas defendem mais ações para acabar com a fome em Moçambique

Este ano, o Dia Mundial da Alimentação é comemorado sob lema “Nossas ações são o nosso futuro - Melhor produção, melhor nutrição, melhor ambiente...

Direito a um meio ambiente limpo e saudável: seis coisas que você precisa saber

Pela primeira vez, o órgão das Nações Unidas que tem a missão de promover e proteger os direitos humanos pelo mundo, aprovou uma resolução...

Portugal é o país da Europa que mais limpou praias em 2021

Campanha da ONU e da União Europeia incentivou pessoas a formarem equipes para recolher lixo; quase 70% das atividades foram realizadas nas praias portuguesas; pelo menos...