A-Z índice do site

Dia Mundial da População

Dia 11 de julho

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável é o modelo mundial para um futuro melhor para todos, num planeta saudável. No Dia Mundial da População reconhecemos que esta missão está estreitamente relacionada com as tendências demográficas, incluindo o crescimento populacional, o envelhecimento, a migração e a urbanização.

Enquanto a população mundial, em geral, continua a aumentar, o seu crescimento é desigual. Para muitas pessoas dos países menos desenvolvidos, os desafios para o desenvolvimento sustentável são agravados pelo rápido crescimento populacional e pela vulnerabilidade às alterações climáticas. Outros países enfrentam o desafio do envelhecimento da sua população, bem como a necessidade de promover um envelhecimento ativo e saudável e fornecer proteção social adequada. À medida que o mundo continua a urbanizar-se, estima-se que 68% da população mundial viva em áreas urbanas até 2050, o desenvolvimento sustentável e as alterações climáticas dependerão cada vez mais do boa gestão do crescimento urbano.

Ao gerir essas tendências populacionais, devemos também reconhecer a relação entre população, desenvolvimento e bem-estar individual. Há vinte e cinco anos, na Conferência Internacional do Cairo sobre População e Desenvolvimento (ICPD), os líderes mundiais explicaram os vínculos entre a população, o desenvolvimento e os direitos humanos, incluindo os direitos reprodutivos. Eles também reconheceram que promover a igualdade de género é o caminho a seguir e um dos mais adequados ​​para o desenvolvimento sustentável e para a melhoria do bem-estar de todos.

O Dia Mundial da População deste ano chama a atenção global para os objetivos acordados na Conferência do ICPD do Cairo que ainda não se vieram a concretizar.

Apesar dos progressos registados na redução da mortalidade materna e das gravidezes indesejadas, existem ainda muitos desafios a combater. Em todo o mundo, assistimos ao retrocesso nos direitos das mulheres, inclusive nos serviços essenciais de saúde. Questões relacionadas à gravidez ainda são a principal causa de morte entre raparigas entre os 15 e os 19 anos. A violência baseada no género, que está enraizada na desigualdade, continua a ter um preço horrível.

Em novembro, vai decorrer uma cimeira que marcará o 25º aniversário da Conferência do Cairo, em Nairobi. Encorajo os Estados-membros a participarem ao mais alto nível e a assumir compromissos políticos e financeiros firmes para realizar o Programa de Ação da CIPD.

Levar adiante a visão da CIPD irá proporcionar oportunidades àqueles que foram deixados para trás e ajudar a construir o caminho para o desenvolvimento sustentável, equitativo e inclusivo para todos.


Banco Mundial: trabalho informal em massa pode retardar recuperação pós-Covid

A recuperação da Covid-19 pode ser ameaçada pela expansão do trabalho informal. Isto é o que diz o estudo “A Grande Sombra da Informalidade:...

Relatório intercalar do Departamento de Assuntos Económicos e Sociais com foco na pandemia

As repercussões sociais e económicas da pandemia irão sentir-se nos próximos anos a não ser que haja investimentos inteligentes em resiliência económica, social e...

Mais impostos sobre bebidas com açucar diminuiriam consumo nas Américas, diz estudo

A Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, defende que o consumo de bebidas com açucar adicionado poderia diminuir de uma forma substancial se estes produtos...