OMS nas Américas diz que proibição de viagens não é eficaz para conter Covid

A Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, afirma que a proibição de viagens não tem se mostrado eficiente na redução da transmissão de nenhuma variante do coronavírus.

Em entrevista à ONU News, de Washington, o vice-diretor da Opas, Jarbas Barbosa, afirmou ser “praticamente impossível” ter uma proibição de voos efetiva. Ele também reforçou que os fechamentos não podem ser uma medida punitiva contra os países que detectam e comunicam a existência de variantes, como aconteceu com a Ômicron.

Variantes

“Os países que detectam as novas variantes e comunicam, como fez a África do Sul, não podem ser punidos. Quando o mundo faz isso, a gente deixa de estimular a transparência, o compartilhamento de informações, que são medidas essenciais para que o mundo todo fique protegido.”

Barbosa voltou a afirmar que ampliar a cobertura vacinal ainda é a melhor maneira de evitar o surgimento de novas variantes. Ele lembrou que a meta da Organização Mundial da Saúde é vacinar 40% da população até 31 de dezembro e 70% até o próximo ano.

Com o possível aumento de trânsito de pessoas durante as festas de final de ano, o vice-diretor da Opas recomenda que apenas viagens essenciais sejam mantidas, especialmente se o destino for países com altos índices de transmissão.

“Evitar viajar para países que estão com uma transmissão comunitária forte. Se não é uma viagem essencial, é melhor adiar essa viagem. Quando a gente olha pelo mundo, temos situações bem diferentes, há países em que a transmissão está mais controlada e outros em que ainda é muito forte. Segundo, só viajar se estiver completamente vacinado, de maneira a estar protegido. Terceiro, manter o uso de máscaras, evitar lugares fechados e aglomerações”

Vacinação

O médico brasileiro, Jarbas Barbosa, afirmou que a taxa de imunização completa nas Américas está caminhando para 60%, mas que ainda há grandes lacunas na região.

Ele destacou o Haiti, em que apenas 1% da população recebeu doses contra a Covid-19.

Segundo o vice-diretor, a Opas está atuando com países da América Latina e Caribe para reduzir a desigualdade. A agência segue recebendo as doses do mecanismo Covax e por meio de relações bilaterais.

O Fundo Rotatório de Vacina também é válido para imunizantes contra o coronavírus e está disponível a todos os países das Américas.

A recomendação da Opas é acelerar a vacinação dos grupos prioritários, evitando casos graves e internações, e que todos cumpram o esquema completo de imunização, tomando as duas doses da vacina.


Direito Internacional e Justiça

Entre as maiores conquistas das Nações Unidas está o desenvolvimento de um corpo de leis internacionais, convenções e tratados que promovem o desenvolvimento económico...