ONU junta-se a Angola para levar alimentos a 1 milhão de crianças em Luanda

O Programa Mundial de Alimentos e o Governo de Angola lançaram uma parceria para apoiar 1 milhão de crianças na capital do país, Luanda. A ação visa atender crianças sofrendo de mal nutrição em comunidades afetadas pela Covid-19.   

Em comunicado, a diretora do Departamento de Saúde Pública de Luanda, Catarina Oatanha, disse que a colaboração com a ONU deve fortalecer o sistema nacional para responder rapidamente a crianças carentes.    

Crescimento   

A desnutrição é uma das maiores causas de morte de crianças menores de cinco anos. Pelo projeto, o PMA realizará treinamentos para agentes de saúde, que farão a avaliação nutricional em mais de 1,1 milhão de menores.   

© Unicef Angola/Carlos Louzada

ONU deve fortalecer sistema nacional para responder rapidamente a crianças carentes

A agência da ONU também fornecerá suplementos altamente nutritivos para serem distribuídos pelas autoridades da província de Luanda a pelo menos 37 mil crianças, com menos de cinco, que estão subnutridas.   

Representando o PMA em Angola, Michele Mussoni, disse que a má nutrição aguda afeta a todos na comunidade, mas bebês e crianças são os que mais sofrem por precisarem da nutrição para o crescimento e o desenvolvimento.   

Amamentação 

Com a pandemia, a principal fonte de sustento das famílias deixou de existir agravando a situação.   

A parceria do PMA com autoridades em Luanda também deve ajudar a melhorar habilidades e conhecimentos de famílias, cuidadores e sobre amamentação, higiene, nutrição e formas de prevenção da Covid-19.   

O programa tem o apoio do Banco Mundial e abrange merenda escolar e avaliação sobre nutrição e segurança alimentar. 

ONU Photo/Loey Felipe

Bandeira de Angola na sede da ONU em Nova Iorque


Direito Internacional e Justiça

Entre as maiores conquistas das Nações Unidas está o desenvolvimento de um corpo de leis internacionais, convenções e tratados que promovem o desenvolvimento económico...