A-Z índice do site

ONU pede união para evitar “desastre e sofrimento inimagináveis” após pandemia

Financiamento para o Desenvolvimenta duranre e depois da Covid-19 foi o tema de um Encontro virtual de Alto Nível co-organizado por Canadá e Jamaica, nas Nações Unidas.

O secretário-geral alertou que a pandemia poderá levar a um desastre e sofrimento inimagináveis no mundo se não houver ação imediata.

Pobreza

António Guterres apontou para a iminência de uma fome de proporções históricas causada pela crise do novo coronavírus.

Ele afirmou que 60 milhões de pessoas serão lançadas na pobreza extrema e que metade da força de trabalho global ficaria sem meios de subsistência. Essa mão de obra seria equivalente a 1,6 bilhão de pessoas.

Guterres disse que o mundo tem que evitar a possível perda de US$ 8,5 trilhões na produção global, que equivaleria à maior contração econômica desde a Grande Depressão da década de 1930.

Já o presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande, acredita que os países mais vulneráveis são ainda mais desafiados com a saída de investidores estrangeiros e a diminuição de receitas. O maior impacto seria sentido em áreas como remessas, turismo, exportação de mercadorias e fluxos financeiros.

Perspectiva

Para que esses países não deixem de honrar o pagamento de suas dívidas Muhammad-Bande pediu um plano para abordar a falta de liquidez e soluções duráveis para se investir no desenvolvimento sustentável.

António Guterres sugeriu seis medidas para a ação coletiva imediata: aumentar a liquidez global, aliviar as dívidas soberanas e buscar uma solução ampla para o endividamento com base no diálogo construtivo de credores para buscar soluções.

Para o chefe da ONU, deve haver maior confiança no financiamento externo, controle de fluxos financeiros ilícitos e uma melhor recuperação focada em consolidar as vias sustentáveis e resilientes para vencer a Covid-19 e enfrentar questões como crise climática, desigualdade, pobreza e fome.

Guterres disse que mesmo com todos os avanços tecnológicos e científicos, das últimas décadas, o mundo vive uma crise humana sem precedentes devido ao vírus.

Apoio

O secretário-geral realçou que a resposta a esta situação deve ser dada com união e solidariedade, na qual o apoio financeiro é um aspecto essencial.

Guterres elogiou ainda as ações tomadas por instituições com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, além de bancos regionais de desenvolvimento, entidades financeiras internacionais e o G-20, o grupo das 20 maiores economias do mundo.

ONU-Habitat/Julius Mwelu

Trabalhadores em Nairobi, no Quênia, tomam precauções contra covid-19


últimos artigos