Operação militar na Ucrânia coloca milhões de pessoas em risco de fome

Agências das Nações Unidas alertam sobre os efeitos negativos do conflito na Ucrânia na distribuição alimentar pelo mundo.

Uma análise do Programa Mundial de Alimentos, PMA, revela que o aumento dos preços da comida e dos combustíveis coloca milhões de civis em risco de passar fome.

Entre as potenciais vítimas estão famílias que dificilmente podem pagar por uma refeição básica.

Comboio de 12 caminhões do PMA, com suprimentos de comida para alimentar mais de 7 mil pessoas durante um mês, chegou a Luhansk, no leste da Ucrânia, pela primeira vez desde a suspensão das atividades humanitárias há quatro meses

PMA/Logistics Cluster

Comboio de 12 caminhões do PMA, com suprimentos de comida para alimentar mais de 7 mil pessoas durante um mês, chegou a Luhansk, no leste da Ucrânia, pela primeira vez desde a suspensão das atividades humanitárias há quatro meses

Fornecimento

A Ucrânia e a Rússia respondem por 30% das exportações globais de trigo, 20% das exportações globais de milho e 76% do fornecimento de girassol.

A agência da ONU explicou que qualquer interrupção na produção ou no fornecimento destes produtos pode fazer subir os preços globais, afetando milhões de pessoas já atingidas pela alta da inflação em seus países.

Além de conflitos, o conjunto de fatores que provoca o aumento nos custos da comida inclui choques climáticos e Covid-19. Mais de 44 milhões de pessoas podem sofrer de fome em 38 países.

A bacia do Mar Negro, também conhecida como o celeiro da Europa, é uma das áreas mais importantes para a produção de grãos e agricultura.

Idosa em vilarejo afetado pelo conflito na Ucrânia recebe assistência da OIM

Foto: IOM/Konstantin Skomorokh

Idosa em vilarejo afetado pelo conflito na Ucrânia recebe assistência da OIM

Combustíveis

Com os recentes aumentos de preços de alimentos e combustíveis, as operações do PMA tiveram um aumento de custos de mais de 50% desde 2019. 

A inflação global e os desafios da cadeia de suprimentos relacionados à pandemia elevaram os gastos para US$ 71 milhões mensais.

A situação reduz a capacidade de atender aos necessitados, num ano já considerado como sendo de fome sem precedentes.

Já a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, alertou que as próximas semanas serão críticas porque os agricultores ucranianos precisarão preparar a terra para semear verduras e legumes em meados de março.

Milhares de ucranianos buscam segurança na vizinha Polônia

© PMA/Marco Frattini

Milhares de ucranianos buscam segurança na vizinha Polônia

Deslocados

Nos meses de fevereiro e maio os campos são lavrados para plantar trigo, cevada, milho e girassol no país, que está entre os maiores fornecedores mundiais de grãos.

A FAO destaca que deve haver esforços internacionais para proteger as colheitas e o gado durante o intenso e crescente conflito.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, afirma que pelo menos 1,85 milhão de pessoas ficaram deslocadas e mais de 12 milhões são diretamente afetadas pelo conflito, incluindo mais de 2,3 milhões de refugiados.

Refugiados da Ucrânia se aquecem em fogueira após cruzarem a fronteira para a Polônia em Medyka

© Acnur/Valerio Muscella

Refugiados da Ucrânia se aquecem em fogueira após cruzarem a fronteira para a Polônia em Medyka

Alimentos

Um dos maiores desafios para chegar aos afetados são as temperaturas baixas e as grandes restrições de acesso a comunidades afetadas em áreas como Mariupol e Kharkiv.

As ações militares em andamento e o aumento de minas terrestres agravam as necessidades humanitárias.

Entre as maiores necessidades estão alimentos, água, remédios, cuidados médicos, abrigo, utensílios domésticos básicos, cobertores, colchões, dinheiro, materiais de construção, geradores e combustível.


Direito Internacional e Justiça

Entre as maiores conquistas das Nações Unidas está o desenvolvimento de um corpo de leis internacionais, convenções e tratados que promovem o desenvolvimento económico...