A-Z índice do site

Tudo o que deve saber sobre a Conferência da ONU sobre Biodiversidade

Hoje, os líderes mundiais reúnem-se em Kunming, na China, e virtualmente, para a primeira fase da Conferência das Nações Unidas sobre Biodiversidade (COP-15), para chegar a um acordo sobre um novo conjunto de metas relativas à natureza na próxima década. A segunda fase será realizada em abril-maio ​​de 2022 devido à pandemia.

A perda da natureza e da biodiversidade está a acelerar a tripla crise planetária que enfrentamos, juntamente com as alterações climáticas e a poluição. O relatório Fazendo as Pazes com a Natureza do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) mostra que a ação humana tem impacto em três quartos da terra e dois terços dos oceanos. Um milhão das estimadas 8 milhões de espécies de plantas e animais do mundo estão ameaça de extinção.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP) conversou com a secretária-executiva da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), Elizabeth Maruma Mrema, para saber mais sobre a estrutura pós-2020 em discussão na COP-15 e o que pode ser feito para ajudar a fazer as pazes com a natureza.

O que é necessário que aconteça na Conferência da ONU sobre Biodiversidade?

É necessário que se adote uma Estrutura de Biodiversidade Global Pós-2020 robusta, ambiciosa e abrangente – uma estratégia de 10 anos para envolver o mundo inteiro na missão de proteger a natureza e construir um futuro de vida em harmonia com a natureza. Essa estrutura tem como objetivo orientar o trabalho de todas as sociedades e de todos os governos para proteger e restaurar a biodiversidade de uma forma ambiciosa e eficaz. Isto significa proteger efetivamente mais terras e oceanos do mundo. Significa garantir consumo e produção sustentáveis. Significa garantir que todos os atores estejam envolvidos na proteção da natureza.

O que é esperado em outubro?

A Parte Um da COP-15 começa em Kunming, China, esta semana. Devido à situação de pandemia, esta primeira fase da conferência será realizada virtualmente, com participação limitada em Kunming. A adoção da estrutura está prevista para ocorrer na Parte Dois da conferência em abril / maio de 2022.

A primeira parte verá o Governo da China assumir seu papel como presidente da Conferência das Partes (COP) e o segmento de alto nível adotará a Declaração de Kunming, uma importante declaração política que servirá como ferramenta para criar impulso político para a fase dois da COP-15 e auxiliar na negociação, adoção e implementação de uma estrutura pós-2020 eficaz.

Teremos também uma Cimeira de Líderes, onde o secretário-geral da ONU e chefes de Estado e de Governo anunciarão o seu apoio e compromissos com a agenda da biodiversidade. Eles serão acompanhados por mais de 100 ministros do Ambiente.

O que está na Estrutura de Biodiversidade Global pós-2020?

O esboço oficial da estrutura, lançado em julho, propõe quatro metas a serem alcançadas, até 2050, para que a humanidade “viva em harmonia com a natureza”, uma visão adotada pelas 196 partes membros da CBD em 2010. A estrutura tem 21 “metas de ação” associadas para 2030, que ajudam a atingir os principais objetivos: reduzir as ameaças à biodiversidade, atender às necessidades das pessoas através do uso sustentável dos recursos e a equilibrada repartição de benefícios e ainda de soluções para implementação e integração.

O quadro ainda está em negociação. As reuniões estão planeadas para janeiro em Genebra para finalizar o texto antes de ir para a Parte Dois da COP-15 para adoção. É importante enfatizar que, para que a estrutura pós-2020 seja bem-sucedida, precisamos da colaboração de todos, de todas as sociedades e todos os governos. Isso requer a adesão não apenas dos ministros do Ambiente, mas de todos os departamentos governamentais.

A estrutura deve ser totalmente inclusiva. Os povos indígenas e comunidades locais, empresas e o setor financeiro desempenham um papel fundamental na transformação para um futuro positivo para a natureza.

Quais são as perspetivas de ação? Está otimista?

São muitos os sinais de que o mundo está focado em proteger, restaurar e desenvolver uma relação sustentável com a natureza. Há um mês, representantes de três coligações apoiadas por 116 países uniram forças na pré-COP do Segmento de Alto Nível da CBD patrocinada pelo Governo da Colômbia. Estes países reafirmaram a urgência de reverter a perda de biodiversidade até 2030 para enfrentar as crises interdependentes de perda de biodiversidade, degradação dos ecossistemas e alterações climáticas e alcançar o desenvolvimento sustentável.

O que está agora nas mãos dos governos é garantir que as negociações do Quadro Global de Biodiversidade Pós-2020 produzam um resultado que corresponda a essa ambição. Agradeço ao governo da China pelo seu árduo trabalho e determinação para que este encontro aconteça. Ao organizar a Conferência da ONU sobre Biodiversidade no contexto destes compromissos desafiadores é uma demonstração clara da liderança global do Governo da China em biodiversidade.


A UNICEF aos 75 anos

Criada no pós-Segunda Guerra Mundial, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) tem marcado presença nas linhas da frente de crises humanitárias,...

ONU destaca “carreira distinta” após anúncio da morte de Colin Powell

O secretário-geral da ONU expressou tristeza com a morte de Colin Powell, o primeiro secretário de Estado negro dos Estados Unidos. Em nota publicada esta...

ONU lidera trabalhos para nova Constituição da Síria

Geir Pedersen interveio na sequência de uma reunião com os co-presidentes do Comité Constitucional sírio, que concordaram em iniciar o processo de reforma constitucional. Os...