A-Z índice do site

UNESCO: educação ambiental deve fazer parte do currículo escolar até 2025

Mais de 80 ministros e vice-ministros, bem como 2,8 mil especialistas envolvidos nos setores da educação e do meio ambiente, comprometeram-se a tomar medidas concretas para transformar a educação ambiental ao adotar a Declaração de Berlim sobre a Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS), no final de uma Conferência Mundial virtual realizada de 17 a 19 de maio de 2021.

A Conferência, acompanhada online por mais de 10 mil espectadores, foi organizada pela UNESCO em cooperação com o Ministério Federal de Educação e Investigação da Alemanha e, como parceiro consultivo, a Comissão Nacional da UNESCO da Alemanha.

A UNESCO fez um pedido para que a EDS seja uma componente central de todos os sistemas de ensino, até 2025.

O lançamento de uma nova publicação da UNESCO, que analisou os planos e os currículos escolares de 50 países, mencionou que mais da metade desses programas não fazem qualquer referência às alterações climáticas e apenas 19% dos mesmos tratam questões relacionadas com a biodiversidade.

A Declaração de Berlim sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável descreve uma série de políticas para transformar o ensino, abrangendo escolas, profissionais e sociedade civil. O documento também destaca a necessidade de implementar a EDS com foco nas competências cognitivas, na aprendizagem social e emocional, nas competências.de colaboração, na resolução de problemas e construção de resiliência.

No seu discurso de abertura, a chanceler alemã, Angela Merkel, descreveu a ampla rede de parceiros da Alemanha que trabalham na área da sustentabilidade a todos os níveis de educação e formação.

Ao longo da Conferência, a ministra federal alemã de Educação e Investigação, Anja Karliczek, partilhou os compromissos de 18 países da União Europeia em implementar o quadro da Educação para o Desenvolvimento Sustentável 2030, sublinhando-o como um motor para a realização de todos os ODS.

Laurent Fabius, que presidiu a COP 21, ocasião onde foi celebrado o Acordo de Paris, afirmou que “a luta contra as alterações climáticas começa na escola”. Fabius relembrou os compromissos do Acordo de Paris com a educação e pediu um maior empenho para melhorar a formação de professores nesta matéria e aumentar o seu financiamento. “2021 é o ano em que superaremos a pandemia e embarcaremos num modelo de desenvolvimento sustentável para o futuro, modelo este que deve incluir a EDS. Se perdermos esta oportunidade, perderemos décadas. Esta é uma corrida contra o tempo”.

Ao longo da Conferência, as vozes dos jovens foram, também, ouvidas numa plataforma que os considerou líderes da mudança, para que possam #LearnForOurPlanet.

A adoção da Declaração de Berlim irá criar uma dinâmica para a implementação do Roteiro para a EDS 2030 – o quadro para esta década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável. Cada Estado-membro da UNESCO será chamado a criar uma rede de especialistas que, em conjunto, possam implementar a ambiciosa visão para a educação.

A partir de Berlim, 2021 proporcionará aos governos oportunidades chave para a aplicação deste compromisso, incluindo a Conferência das Nações Unidas sobre Biodiversidade (COP 15) e a Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP26) em Glasgow.

 


ACNUR: Valor recorde – mais de 80 milhões de refugiados em 2020

De acordo com a última edição do relatório anual da ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), “Tendências Globais”, divulgado hoje em Genebra,...

14ª sessão da Conferência dos Estados Partes na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

A 14ª sessão da Conferência dos Estados Partes da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência decorre entre 15 a 17 de Junho. A...

Guterres reconhece efeito arrasador da pandemia em nações de renda média 

A Assembleia Geral da ONU realizou esta quinta-feira uma reunião de alto nível sobre países de rendimento médio. São mais de 100 Estados-membros abrigando cerca de...