Unicef apoia gestão de resíduos de vacinas contra a Covid-19 em Moçambique

Moçambique conta com novos materiais para incinerar resíduos de imunização da Covid-19.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, revelou que o equipamento para todo o país foi comprado com o apoio do Japão. 

Luísa Panguene, Maria Luisa Fornara e o embaixador do Japão, KIMURA Hajime

ONU News/ Ouri Pota

Luísa Panguene, Maria Luisa Fornara e o embaixador do Japão, KIMURA Hajime

Necessidade

Ainda este mês, Moçambique receberá um lote de câmaras de frio para conservar vacinas nas províncias de Maputo, Sofala e Zambézia.

A agência enfatiza que é preciso fazer a gestão dos resíduos de vacinas, dois anos após o novo coronavírus ter sido declarado uma emergência de saúde pública internacional. 

Mais de 19,7 milhões de doses de vacina já foram administradas pelas autoridades de saúde moçambicanas.

O país notificou 223.413 casos e 2.164 mortes à Organização Mundial da Saúde.

Vacinas contra a Covid-19 do mecanismo Covax chegando em Moçambique. O novo equipamento pode guardar 6,8 milhões de doses

©UnicefMoçambique/2021/Cremildo Assane

Vacinas contra a Covid-19 do mecanismo Covax chegando em Moçambique. O novo equipamento pode guardar 6,8 milhões de doses

Vacinação

A representante da Unicef em Moçambique, Maria Luísa Formara, disse que o apoio será benéfico em duas vertentes. 

“Primeira: Aquisição de materiais e equipamento para gestão de resíduos de vacinas e equipamento da cadeia de frio para apoiar na implementação da vacinação contra Covid-19, incluindo a logística para a instalação destes materiais e equipamentos; Segunda: Reforço da capacidade dos técnicos do Ministério da Saúde para operar e manter os equipamentos de gestão de resíduos de vacinas e da cadeia de frio.”

Para além das novas incineradoras, o novo material visa melhorar a capacidade de frio do programa de vacinação contra o coronavírus em Moçambique. 

Um lote com 100 caixas isotérmicas, mil recipientes para melhor manusear e manter a qualidade das vacinas e 50 mil sacos plásticos foi atribuído às autoridades para fazerem a gestão de resíduos.

“Estas incineradoras irão reforçar a capacidade do Ministério da Saúde nas províncias, e criar condições apropriadas para que o descarte de resíduos de vacinas de Covid-19 seja feito obedecendo os padrões de qualidade recomendados. Esperamos receber no final do mês de fevereiro as três câmaras de frio para conservação de vacinas, financiadas pelo Governo do Japão, que serão colocadas nas províncias de Maputo, Sofala e Zambézia.”

A expectativa é que a capacidade de conservação de imunizantes aumente nessas áreas. O novo material pode guardar 6,8 milhões de doses.

De Maputo para ONU News, Ouri Pota
 


Direito Internacional e Justiça

Entre as maiores conquistas das Nações Unidas está o desenvolvimento de um corpo de leis internacionais, convenções e tratados que promovem o desenvolvimento económico...