A-Z índice do site

10 anos para restaurar o planeta. 10 ações que contam

O Dia Mundial do Ambiente, assinalado a 5 de junho, marcará o lançamento oficial da Década das Nações Unidas (ONU) para a Restauração dos Ecossistemas, um apelo global para a recuperação do meio ambiente.

Num cenário de crise ambiental, esta Década constitui uma oportunidade de recuperar o mundo natural do qual dependemos. Os cientistas afirmam que os próximos dez anos são cruciais para evitar alterações climáticas e a perda de milhões de espécies.

Aqui estão dez ações da estratégia da Década da ONU que podem construir uma #GenerationRestoration.

  1. Fortalecer um movimento global

O objetivo principal desta Década da ONU é impedir e reverter a destruição e degradação de mil milhões de hectares de ecossistemas. Uma tarefa desafiante que é ainda mais complicada dada a imensa diversidade de ecossistemas e ameaças que estes enfrentam, desde incêndios florestais à erosão dos solos agrícolas. Deste modo, a  Década da ONU foi projetada para reforçar ações. A sociedade civil, seja em grupo seja individualmente, pode informar-se sobre as oportunidades de recuperação do ambiente nas suas áreas de residência e associar-se a iniciativas já em curso ou dar início às suas próprias iniciativas.

  1. Investir na recuperação

As organizações que coordenam as atividades de campo enfrentam inseguranças financeiras a longo prazo. Embora os benefícios da recuperação ambiental superem os custos, são necessários investimentos iniciais de milhares de milhões de dólares. Governos, financiadores internacionais, agências de desenvolvimento e empresas privadas terão de reforçar o seu apoio. Os cidadãos podem, também, considerar fazer uma doação monetária, tempo ou experiência.

  1. Estabelecer incentivos corretos

A longo prazo, ecossistemas mais saudáveis podem produzir maiores colheitas, rendimentos mais seguros e um ambiente mais saudável. Porém, cuidar da natureza pode significar renunciar a alguns ganhos financeiros provenientes de práticas menos sustentáveis. Existem formas de alterar esta situação, incentivando as atividades de recuperação e reduzindo os subsídios que financiam práticas nocivas, por exemplo, na agricultura e nas indústrias piscatórias.

  1. Celebrar a liderança

No âmbito do Desafio de Bona, mais de 60 países comprometeram-se a plantar mais de 350 milhões de hectares de paisagens florestais. Os povos indígenas têm atuado como defensores dos seus ecossistemas durante gerações. A Década da ONU celebrará a liderança e encorajará outros a intensificar a sua liderança.

  1. Mudar comportamentos

A desflorestação, o esgotamento dos recursos piscatórios e a degradação dos solos agrícolas são causados por padrões de consumo globais. A Década da ONU trabalhará com todos os parceiros para identificar e encorajar o consumo favorável à recuperação ambiental. Isto pode variar desde mudanças nos hábitos alimentares até à promoção de produtos baseados nesta recuperação ambiental.

  1. Investir na investigação

As práticas que funcionam num ecossistema podem ter impactos adversos noutro. À medida que o clima muda, surgem novas incertezas. O entendimento científico de como restaurar e adaptar os ecossistemas ainda se encontra em desenvolvimento. São necessários investimentos consideráveis para identificar as melhores práticas para restaurar o nosso planeta uma parcela de cada vez.

  1. Desenvolver capacidades de construção

Milhares de iniciativas de conservação e recuperação ambiental já estão em curso. A Década da ONU será alimentada pela sua visão, perícia e dedicação. No entanto, os profissionais muitas vezes enfrentam barreiras que os impedem de levar os seus projetos em diante. Outros sectores críticos, tais como o financeiro, requerem mais dados e conhecimentos para tomarem decisões informadas. A estratégia da Década da ONU procura construir a capacidade dos grupos marginalizados, tais como povos indígenas, mulheres e jovens, para assumirem um papel ativo.

  1. Celebrar uma cultura de recuperação

O poder de recuperar o nosso meio ambiente não reside apenas nos governos, especialistas e profissionais. A estratégia da Década da ONU, convoca, também, artistas, contadores(as) de histórias, produtores(as), músicos(as) e entusiastas a fazer parte da #GenerationRestoration.

  1. Construir a próxima geração

A juventude e as gerações vindouras são as mais afetadas pela atual destruição rápida dos ecossistemas e são, também, as que mais irão beneficiar de uma economia de recuperação. A estratégia da Década da ONU associa o bem-estar da juventude aos objectivos da recuperação. Educar para recuperar o ambiente irá transformar as crianças de hoje em dia em embaixadores dos ecossistemas e proporcionar competências para empregos sustentáveis.

  1. Ouvir e aprender

A restauração de ecossistemas não é uma tarefa fácil. Assim, no início deste ano, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente realizou um inquérito para identificar as barreiras à recuperação ambiental. Consulte os resultados do inquérito para obter indicações sobre como pode pôr em funcionamento os programas de recuperação na sua área de residência.


António Guterres nomeado para 2.º mandato como secretário-geral

Por unanimidade, o Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) recomendou a reeleição de António Guterres para um 2.º mandato de 5 anos como...

Enviado alerta para “efeitos drásticos da instabilidade” no Mali para a sub-região   

O Conselho de Segurança realizou uma sessão sobre o Mali, três semanas após o golpe que derrubou o governo interino do presidente Bah N’daw e do primeiro-ministro Moctar Ouane.  Na reunião, o chefe da Missão...

G7 promete 870 milhões de doses da vacina contra a covid-19

No domingo, a ONU celebrou o compromisso das nações industrializadas, lideradas pelo G7, de partilhar, pelo menos, 870 milhões da vacina contra a covid-19...