COVAX e ONU fornecem a sua bilionésima dose da vacina contra a covid-19

Com uma entrega de 1,1 milhões de vacinas no Ruanda durante o fim-de-semana, a iniciativa multilateral da Organização Mundial de Saúde (OMS) para atingir a igualdade de acesso às vacinas para todos atingiu a meta de mil milhões de vacinas contra a covid-19 distribuídas.

Juntamente com a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI), a Vaccine Alliance GAVI e os seus parceiros, a OMS liderou a maior operação de aquisição e fornecimento de vacinas da história, contando com entregas a 144 países até à data.

De acordo com um comunicado de imprensa publicado no domingo, até dia 13 de Janeiro de 2022, dos 194 países membros da OMS, 36 deles vacinaram menos de 10% da sua população e 88 menos de 40%.

“A ambição da COVAX foi comprometida pelo açambarcamento/armazenagem [de vacinas] nos países ricos e por surtos catastróficos que levaram ao bloqueio das fronteiras e do abastecimento. A falta de partilha de licenças, de tecnologia e de perícia por parte das empresas farmacêuticas significou que a capacidade de fabrico [noutros países] não foi utilizada”, explicou a agência.

A 24 de Fevereiro de 2021, o Gana tornou-se o primeiro país do mundo a receber vacinas através da COVAX, quando 600.000 doses da vacina Oxford-AstraZeneca foram entregues em Acra.

O trabalho que resta

A COVAX está actualmente a trabalhar com governos, fabricantes e parceiros para assegurar que, quando os países recebem as vacinas, as possam utilizar rapidamente na população.

“O trabalho que foi feito até chegarmos a este marco (mil milhões) é apenas um lembrete do trabalho que ainda resta fazer”, sublinhou a agência de saúde da ONU.

Acrescentaram que, com novas e melhoradas vacinas em processo de fabricação, os cidadãos deveriam exigir que os governos e as empresas farmacêuticas partilhassem as ferramentas de saúde ao nível mundial para “pôr fim aos ciclos de morte e de destruição causados por esta pandemia, limitar [o aparecimento de] novas variantes e impulsionar uma recuperação económica global”.

© UNICEF/Frank Dejongh

A COVAX visa acelerar o desenvolvimento e fabrico de vacinas contra a covid-19 e garantir um acesso justo e equitativo para todos os países à vacinação. A COVAX é co-gerida pela Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI), a Gavi e a OMS, tendo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) como parceiro principal de fornecimento e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) como agente de aprovisionamento nas Américas.

A COVAX é um dos três pilares do Acelerador de Acesso a Ferramentas covid-19 (ACT), lançado pela OMS em Abril de 2020 em resposta à pandemia, que é uma colaboração global inovadora para acelerar o desenvolvimento, produção e acesso equitativo aos testes, tratamentos e vacinas da covid-19.


ONU reduz previsão de crescimento da economia global para 3,1%

Guerra na Ucrânia e sanções contra a Rússia afetam exportações de petróleo bruto, gás natural, grãos, fertilizantes e metais; efeitos incluem  aumento de custos...

ONU expressa solidariedade a famílias de 100 mil desaparecidos no México

António Guterres expressou “profunda tristeza” com situação; para ele, “governo mexicano tem tomado medidas positivas para garantir direito das vítimas”. 

Guterres: “Está na hora de pararmos de falar nas energias renováveis como um projeto distante e futuro”

As alterações climáticas bateram novamente recordes em terra, no mar e no ar em 2021.    As concentrações de gases de estufa, o nível do mar,...