A-Z índice do site

Relatório OMM: 2020 foi um dos três anos mais quentes de sempre

A desaceleração económica associada à pandemia não foi capaz de travar as alterações climáticas ou desacelerar os seus impactos. Segundo o novo relatório relativo ao Estado Global do Clima 2020, este foi um dos três anos mais quentes de sempre. A temperatura média global subiu cerca de 1,2 °C acima do nível pré-industrial (1850-1900). A publicação da Organização Meteorológica Mundial (OMM) e parceiros demonstra que 2011-2020 foi a década mais quente alguma vez registada, os últimos seis anos foram os mais quentes de sempre.

O relatório alerta para a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera, o aumento da temperatura terrestre e oceânica, a subida do nível do mar, o desgelo e recuo dos glaciares e uma propensão para condições meteorológicas extremas. Destaca, ainda, os impactos negativos destas alterações climáticas, em conjuntura com a pandemia da covid-19, no desenvolvimento socioeconómico, na migração e deslocamento, na segurança alimentar e nos ecossistemas terrestres e marinhos.

A covid-19 adicionou uma nova dimensão aos perigos associados às alterações climáticas, com um enorme impacto na saúde e bem-estar humano. As restrições à mobilidade, crises económicas e interrupções no setor agrícola, exacerbaram os efeitos dos eventos climáticos e meteorológicos extremos ao longo de toda a cadeia de abastecimento alimentar, elevando os níveis de insegurança alimentar e retardando a entrega de ajuda humanitária. A pandemia interrompeu ainda as observações meteorológicas e dificultou os esforços de alerta e prevenção de desastres.

A publicação da OMM explica como as alterações climáticas representam uma ameaça ao cumprimento de muitos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o que poderá contribuir para reforçar ou agravar as desigualdades já existentes.

De acordo com o secretário-geral da ONU, António Guterres, “Este relatório mostra que não temos tempo a perder. O clima está a mudar e as consequências já são em demasia para as pessoas e para o planeta. Este é o ano para a ação. Os estados precisam se comprometer-se a emissões zero até 2050. Precisam de apresentar planos climáticos nacionais ambiciosos para reduzir coletivamente em 45%, em comparação com os níveis de 2010, as emissões globais até 2030. Precisam de agir agora para proteger as pessoas contra os efeitos desastrosos das alterações climáticas”.


Dia Mundial pede rapidez na transformação digital para responder a desafios  

Esta segunda-feira, 17 de maio, é Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação. Esse ano, o tema é “Acelerando a Transformação Digital em tempos...

Em Dia Internacional da Luz, ONU promove mais confiança no processo científico 

O Dia Internacional da Luz, marcado neste domingo, tem como lema “Confie na Ciência”, incentivando o público a assinar uma declaração sobre a importância da confiança no processo científico.  A data de 16...

Dia Internacional das Famílias ressalta papel das novas tecnologias no convívio

Este 15 de maio é o Dia Internacional das Famílias. Segundo as Nações Unidas, 65% de todas as famílias são formadas por apenas casais ou...