A-Z índice do site

130 países apoiam a ONU no combate à desinformação

Desde o início da pandemia da covid-19 que a ONU se tem focado no combate à desinformação e chamado à atenção para o facto do consumo de informação que não é verdadeira e credível ser perigoso para a saúde e a segurança de todos, podendo potenciar a violência e dividir comunidades.

Numa mensagem conjunta enviada ao secretário-geral da ONU, 130 países subscrevem que os Estados devem combater a desinformação, por esta “ser um fator tóxico dos impactos secundários da pandemia que podem aumentar o risco de conflito, violência, violações dos direitos humanos e atrocidades em massa.” Por estes motivos, os signatários da mensagem apelam a todos que “cessem imediatamente a divulgação de informações falsas e adotem as recomendações das Nações Unidas para lidar com este problema.”

Nesta mensagem, uma iniciativa da Missão Permanente da Letónia junto da ONU, lê-se também que a crise da covid-19 demonstrou a necessidade crucial do acesso “a informações gratuitas, confiáveis, factuais, multilíngues, precisas, claras e baseadas na ciência, além de garantir o diálogo e a participação de todos os interessados e comunidades afetadas durante este período.”

Os Estados-membros sublinham também o papel fundamental de uma imprensa livre, independente, responsável e pluralista para aumentar a transparência, a responsabilização e a confiança, essencial para informar o público em geral dos esforços empreendidos para conter a propagação do vírus.

Uma melhor cooperação internacional, baseada na solidariedade e boa vontade entre os países, pode contribuir para alcançar este objetivo, por isso, o documento destaca também que os Estados, as organizações regionais, o sistema da ONU e outras partes interessadas, têm um papel e uma responsabilidade clara em ajudar as pessoas a lidar com a “infodemia”. Neste sentido, este grupo de países demonstra o seu apoio total à campanha “Verified” lançada recentemente pelas Nações Unidas para combater a desinformação.

Numa altura de preocupação crescente com os danos que são causados pela criação e circulação deliberadas de informações falsas ou manipuladas relacionadas com a pandemia, é também feito um apelo aos países para que tomem medidas para combater a disseminação dessa desinformação, de maneira objetiva e com o devido respeito à liberdade de expressão dos cidadãos, bem como à ordem e segurança públicas. Para tal, o documento enfatiza a importância de garantir que as pessoas sejam informadas a partir de fontes confiáveis e não sejam enganadas pela desinformação sobre a covid-19. Estes esforços baseiam-se, entre outros, na liberdade de expressão, na liberdade de imprensa e na promoção das mais elevadas normas e ética da imprensa, proteção de jornalistas.

Os signatários desta mensagem terminam pedindo a todos os Estados-membros, e a todas as partes interessadas, para que combatam a desinformação para a construção de “mundo mais saudável, mais equitativo, justo e resiliente.”

ONU News

Assembleia Geral adota resolução para proteger instituições educativas de...

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução para proteger instituições educativas em...

ONU pede união para evitar “desastre e sofrimento inimagináveis”...

Financiamento para o Desenvolvimenta duranre e depois da Covid-19 foi o tema de um Encontro virtual de Alto Nível co-organizado por Canadá e Jamaica,...

Relatores da ONU pedem proteção migrantes durante pandemia

Os direitos dos trabalhadores migrantes e de suas famílias devem ser protegidos durante e...

Unesco no Brasil apoia criação de diretório “Ciência Aberta...

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, apoiou a criação...

Dia da África: ONU aplaude “liderança louvável” no combate...

Este 25 de maio é o Dia da África. A data marca 57 anos...