A-Z índice do site

Guterres apresenta plano global da ONU para responder à pandemia

Setenta e cinco anos após a última guerra mundial, o mundo vê-se novamente numa batalha global, desta vez, toda a humanidade está do mesmo lado contra a covid-19. A pandemia ceifou centenas de milhares de vidas, infetou milhões de pessoas e prejudicou a economia global.

As Nações Unidas mobilizaram-se de imediato e de forma abrangente, liderando a resposta global de saúde, continuando e expandindo a prestação de assistência humanitária, estabelecendo instrumentos para responder aos impactos socioeconómicos e estabelecendo uma ampla agenda política de ação em todas as frentes. Também forneceu apoio operacional a governos e a outros parceiros em todo o mundo.

Neste contexto, o secretário-geral da ONU, António Guterres, apresentou, em conferência de imprensa, o Plano Global da ONU de resposta à pandemia da covid-19. Guterres começou por lembrar que a família das Nações Unidas “mobilizou-se para salvar vidas, controlar a transmissão do vírus e aliviar as consequências económicas.”

Agora, a ONU divulga esta visão abrangente da sua resposta até ao momento, apresenta as suas principais orientações e traça o caminho para as etapas cruciais que devem ser seguidas para salvar vidas, proteger as sociedades e recuperar melhor. A Organização publicou vários documentos políticos temáticos sobre a resposta que deve ser dada para combater a pandemia.

Este Plano para a recuperação da covid-19 pretende não deixar ninguém para trás e abordará as próprias fragilidades e lacunas que tornaram a população mundial tão vulnerável à pandemia e identifica ainda o que deve ser feito para que haja mais resiliência a futuros choques, sobretudo como lidar com as alterações climáticas e a superação das desigualdades graves e sistémicas que foram expostas pela pandemia.

O secretário-geral da ONU enfatizou que é agora necessário “um multilateralismo em rede, que reúna o sistema das Nações Unidas, organizações regionais, instituições financeiras internacionais, entre outros” e “um multilateralismo inclusivo, com as contribuições indispensáveis da sociedade civil, empresas, cidades, regiões e, em particular, com maior peso dado às vozes da juventude.”

Para a ONU, sair desta crise exigirá uma abordagem de todas as sociedades, de todos os governos e de todo o mundo, impulsionada por compaixão e solidariedade. Neste contexto, este Plano apresenta uma resposta baseada em três pilares: uma resposta de saúde em larga escala, coordenada e abrangente, orientada pela Organização Mundial da Saúde (OMS); um amplo esforço para abordar os impactos socioeconómicos, humanitários e de direitos humanos desta crise; e um a promoção de uma melhor recuperação, abordando a crise climática, as desigualdades, a exclusão, as lacunas nos sistemas de proteção social e as muitas outras fragilidades e injustiças que foram expostas.

Para as Nações Unidas é necessário evitar que se volte a adotar sistemas e abordagens insustentáveis, para que se faça uma transição efetiva para as energias renováveis, para sistemas alimentares sustentáveis e se alcance a igualdade de género.

ONU News

Assembleia Geral adota resolução para proteger instituições educativas de...

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução para proteger instituições educativas em...

ONU pede união para evitar “desastre e sofrimento inimagináveis”...

Financiamento para o Desenvolvimenta duranre e depois da Covid-19 foi o tema de um Encontro virtual de Alto Nível co-organizado por Canadá e Jamaica,...

Relatores da ONU pedem proteção migrantes durante pandemia

Os direitos dos trabalhadores migrantes e de suas famílias devem ser protegidos durante e...

Unesco no Brasil apoia criação de diretório “Ciência Aberta...

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, apoiou a criação...

Dia da África: ONU aplaude “liderança louvável” no combate...

Este 25 de maio é o Dia da África. A data marca 57 anos...