A-Z índice do site

Guterres: “Investimento em energias renováveis pode criar 27 milhões empregos”

O secretário-geral das Nações Unidas elogiou os planos de estímulo e de investimento internos em resposta à Covid-19 criados pela União Europeia, Reino Unido e Coreia da Sul, que pretendem acelerar a descarbonização das suas economias.

Durante a sua intervenção na 19ª Conferência “Memorial Darbari Seth”, António Guterres defendeu que são agora necessárias escolhas sustentáveis para criar empregos, promover o acesso à energia, reduzir emissões e melhorar a saúde.

O líder da ONU destacou o potencial de criação de empregos dos investimentos feitos nas energias renováveis, lembrando que “esses mesmos investimentos podem ajudar a criar 9 milhões de empregos anualmente nos próximos três anos”, enfatizando ainda que os investimentos em energias renováveis geram três vezes mais empregos do que os investimentos em combustíveis fósseis. Por isso, o secretário-geral lembrou que com a pandemia a ameaçar empurrar muitas pessoas para a pobreza, “a criação de empregos é uma oportunidade que não pode ser perdida.”

Mais saúde

No seu discurso, o secretário-geral advertiu que, embora se sinta encorajado por alguns sinais positivos, também houve várias tendências negativas: “Um estudo recente sobre os pacotes de recuperação dos países do G20 mostra que foi gasto duas vezes mais dinheiro em combustíveis fósseis do que em energia limpa.” Neste contexto, o secretário-geral apelou aos países do G20 que invistam numa transição limpa e verde enquanto recuperam da pandemia Covid-19. Para tal, segundo Guterres, “isso significa acabar com os subsídios aos combustíveis fósseis, tabelar os preços da poluição do carbono e promover o compromisso de que não haverá carvão depois de 2020.”

Dirigindo-se a uma audiência maioritariamente indiana, o diplomata português também argumentou que investir em combustíveis fósseis significa mais mortes e doenças e custos crescentes para a saúde: “Este ano, investigadores dos Estados Unidos concluíram que pessoas que vivem em regiões com altos níveis de poluição do ar têm maior probabilidade de morrer de Covid-19. Se as emissões de combustíveis fósseis fossem eliminadas, a esperança média de vida poderia aumentar em mais de 20 meses, evitando 5,5 milhões de mortes por ano em todo o mundo.”

 Acesso a eletricidade

António Guterres sublinhou ainda que os investimentos em energias renováveis, o transporte limpo e a eficiência energética durante a recuperação da pandemia poderiam estender o acesso à eletricidade a 270 milhões de pessoas em todo o mundo.

Dirigindo-se aos governos mundiais, o líder da ONU pediu que estes tomem seis ações positivas para o clima:

“Invistam em empregos verdes. Não ajudem as indústrias poluentes. Acabem com os subsídios aos combustíveis fósseis. Levem os riscos climáticos em consideração em todas as decisões financeiras e políticas. Trabalhem juntos. Mais importante, não deixem ninguém para trás.”

ONU News

Em discurso na ONU, Jair Bolsonaro pede combate à...

O presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, abriu o debate geral das Nações Unidas...

Pandemia leva ONU a realizar primeiro debate virtual da...

A pandemia da Covid-19 levou as Nações Unidas a organizarem o primeiro debate geral...

América Latina não pode baixar a guarda contra a...

Nas últimas semanas, a América Latina e o Caribe registraram uma tendência de leve...

Banco Mundial analisa aumento de violência de gênero durante...

Um estudo recente do Banco Mundial chama a atenção para o aumento da violência...

Unesco apoia combate a incêndios no Pantanal para proteger patrimônios naturais 

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, está ajudando a proteger o Patrimônio...