A-Z índice do site

ONU lança apelo de 6,7 mil milhões de dólares para travar a covid-19 nos países mais vulneráveis

O subsecretário-geral da ONU para os Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, apelou a uma ação rápida para evitar os efeitos mais negativos da pandemia da covid-19, lançando um apelo de 6,7 mil milhões de dólares e lançando um plano global atualizado para combater o coronavírus nos países mais vulneráveis.

A covid-19 já atingiu todos os países, com quase 3.596.000 casos confirmados e mais de 247.650 mortes em todo o mundo. O pico da doença nos países mais pobres é expectável que aconteça nos próximos seis meses.

No entanto, já é evidente que os rendimentos estão em queda, há postos de trabalho a serem eliminados, os stocks de alimentos são menores e os preços estão a subir, assim como muitas crianças carecem de vacinas e refeições.

O sistema humanitário da ONU está a tomar medidas para evitar um aumento acentuado de conflitos, fome, pobreza e doenças como resultado da pandemia e da recessão global associada. O Plano Global de Resposta Humanitária atualizado foi ampliado para aumentar a sua capacidade de resposta.

Este Plano inclui mais nove países vulneráveis: Benim, Djibuti, Libéria, Moçambique, Paquistão, Filipinas, Serra Leoa, Togo e Zimbábue e programas que visam responder ao crescimento da insegurança alimentar.

Este plano atualizado de resposta humanitária foi anunciado esta quinta-feira durante um evento virtual organizado por Mark Lowcock, juntamente com o diretor executivo de Emergências em Saúde da OMS, Mike Ryan, a Presidente e CEO da Oxfam America, Abby Maxman, o alto comissário da ONU para os Refugiados, Filippo Grandi, e o diretor executivo do PMA, David Beasley. O plano foi lançado pela primeira vez pelo secretário-geral da ONU em março passado.

Para o subsecretário-geral da ONU para os Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, esta pandemia está a prejudicar todos, “mas os efeitos mais devastadores e desestabilizadores serão sentidos nos países mais pobres do mundo” onde “já podemos ver as economias a contraírem à medida que as receitas de exportação, as remessas e o turismo desaparecem. A menos que tomemos medidas agora, devemos estar preparados para um aumento significativo de conflitos, fome e pobreza.”

O responsável sublinha ainda que “se não apoiarmos as pessoas mais pobres – especialmente mulheres, raparigas e outros grupos vulneráveis – enquanto combatem a pandemia e os impactos da recessão global, todos teremos de lidar os efeitos colaterais durante muitos anos. Isso seria ainda mais doloroso e muito mais caro para todos.”

O Plano Global de Resposta Humanitária COVID-19 é o principal veículo de captação de recursos da comunidade internacional para responder aos impactos humanitários do vírus em países de baixo e médio rendimento. O plano reúne necessidades da OMS, de outras agências humanitárias da ONU e de Organizações não-governamentais (ONGs).

Este plano define o apoio e proteção que é necessário prestar aos mais vulneráveis, incluindo idosos, pessoas com deficiência e mulheres e raparigas, uma vez que as pandemias aumentam os níveis existentes de discriminação, de desigualdade e de violência de género.

ONU News

Assembleia Geral adota resolução para proteger instituições educativas de...

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução para proteger instituições educativas em...

ONU pede união para evitar “desastre e sofrimento inimagináveis”...

Financiamento para o Desenvolvimenta duranre e depois da Covid-19 foi o tema de um Encontro virtual de Alto Nível co-organizado por Canadá e Jamaica,...

Relatores da ONU pedem proteção migrantes durante pandemia

Os direitos dos trabalhadores migrantes e de suas famílias devem ser protegidos durante e...

Unesco no Brasil apoia criação de diretório “Ciência Aberta...

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, apoiou a criação...

Dia da África: ONU aplaude “liderança louvável” no combate...

Este 25 de maio é o Dia da África. A data marca 57 anos...